Curso

Racismo e antirracismo. Políticas, lutas e territórios

Rita Bosaho (Espanha)
Diretora Geral de Igualdade de Tratamento e Diversidade Étnico-Racial do Ministério da Igualdade.

Nilma Lino Gomes (Brasil)
Ex-ministra da Igualdade Racial no governo Dilma Rousseff.

Mara Viveros Vigoya (Colômbia)
Ex-presidente da LASA e professora da Universidade Nacional da Colômbia.

Carlos Álvarez Nazareno (Argentina)
Ativista anti-racista, sociólogo. UNIAFRO / UNSAM

Viveiros Mara, Nilma Lino Gomes, Rita bosaho y Carlos Álvarez Nazareno abordam a problemática do racismo na América Latina e na Europa, bem como as diferentes estratégias que os Estados nacionais e os movimentos sociais afro-descendentes têm adotado para combatê-lo. O curso abrange tanto questões conceituais de racismo e antirracismo, como diferentes ações que vêm sendo realizadas no âmbito da luta contra a discriminação racial, e inclui reflexões sobre os desafios e possibilidades futuras.

Aula 1

Maria Viveros Vigoya

Mara Viveros apresenta um panorama do racismo na América Latina, sua diversidade e heterogeneidade, bem como as diferentes respostas e ações que vêm ocorrendo diante desse problema no marco da virada anti-racista na região. Nesse sentido, expõe os múltiplos lugares de enunciação e posicionamentos a partir dos quais essa questão pode ser percebida e abordada, retomando as experiências de gramáticas alternativas de anti-racismo.

Aula 2

Nilma Lino Gomes

Nilma Lino Gomes estabelece as premissas que configuram o racismo como sistema de opressão colonial. Por um lado, analisa o “crime perfeito” do mito da democracia racial a partir dos aspectos sociais e culturais do Brasil. Por outro, apresenta a trajetória da luta do movimento negro em sua face educadora, construindo uma representação da resistência diretamente comprometida com a aquisição de direitos fundamentais desde 1931.

Aula 3

Rita bosaho

Rita Bosaho expõe sobre políticas públicas antirracistas no contexto espanhol. Inicialmente, apresenta o problema do racismo na Espanha, a forma como é conceptualizado e sua relação com o processo de colonização europeia. Em segundo lugar, refere-se às políticas de combate à discriminação com base na origem racial ou étnica que têm sido promovidas neste país por várias instituições estatais, com base nos avanços no quadro europeu. E, por fim, formula algumas reflexões sobre os desafios futuros em relação à luta antirracista na nação espanhola.

Aula 4

Carlos Álvarez Nazareno

Carlos Álvarez Nazareno aborda o problema do racismo e da discriminação racial na América Latina, tanto a violência estrutural quanto a institucional e seus vazamentos no cotidiano e no campo da simbologia. Ao mesmo tempo, compartilha as diversas estratégias implementadas pelo movimento social afrodescendente na região, bem como as políticas públicas e ações afirmativas para a inclusão de comunidades afrodescendentes realizadas pelos governos do sul do continente.

Biografia

Maria Viveros Vigoya

Antropóloga, economista, professora e pesquisadora colombiana. Seus interesses de pesquisa estão ligados ao estudo das interseções de gênero, sexualidade, classe, raça e etnia na dinâmica social das sociedades latino-americanas, entre outros tópicos. É Doutora em Antropologia, mestre em estudos latino-americanos pela Universidade de Paris III e economista pela Universidade Nacional da Colômbia. Foi diretora da Escola de Estudos de Gênero, em duas ocasiões, e presidente da Latin American Studies Association (LASA). Atualmente, é professora titular da Faculdade de Ciências Humanas da universidade nacional de seu país e integra a Escola de Estudos Superiores em Ciências Sociais de Paris. Entre suas inúmeras publicações estão “Les couleurs de la masculinité: expériences intersectionnelles et pratiques de pouvoir en Amérique du Sud” (2018) e “De quebradores y cumplidores: sobre hombres, masculinidades y relaciones de género en Colombia” (2002).

Nilma Lino Gomes

Pedagoga brasileira. Foi a primeira mulher negra a presidir uma universidade pública federal no Brasil, sendo reitora da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB) em 2013. Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), realizou mestrado em Educação pela mesma instituição e doutorado em antropologia social pela Universidade de São Paulo (USP). Também fez pós-doutorado em Sociologia pela Universidade de Coimbra, Portugal. Alguns dos temas que aborda são: movimentos sociais e educação; relações raciais, diversidade cultural e de gênero; organização escolar e formação de professores para a diversidade étnico-racial. Na esfera política, foi responsável pelo Ministério da Mulher, Igualdade Racial, Juventude e Direitos Humanos entre 2015 e 2016 sob a presidência de Dilma Rousseff e anteriormente chefiou a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR). Atualmente é professora titular emérita da Faculdade de Educação da UFMG.

Rita bosaho

Sanitarista, ativista e política hispano-equatorial guineense. Desde 2020, é Diretora Geral para a Igualdade de Tratamento e Diversidade Étnico-Racial do Ministério da Igualdade da Espanha. Licenciada em História pela Universidade de Alicante, possui Mestrado em Identidades e Integração na Europa Contemporânea e se encontra desenvolvendo a tese de doutorado sobre o impacto da colonização europeia na África. Faz parte do partido político espanhol Unidas Podemos, e foi deputada entre 2016 e 2019, tornando-se a primeira mulher negra a ocupar uma cadeira na câmara baixa do Congresso espanhol. Possui vasta experiência em saúde pública e participa regularmente em várias organizações sociais em Alicante.

Carlos Álvarez Nazareno

Militante antirracista e ativista pelos direitos humanos dos afrodescendentes, LGBTQIA+ e imigrantes. Desde janeiro de 2020, é Diretor Nacional de Igualdade Étnico Racial, Imigrantes e Refugiados, da Secretaria de Direitos Humanos da Argentina. É o primeiro afrodescendente a ocupar cargos públicos na Argentina. É integrante do Grupo Xangô, criado em 2013, que promove a visibilidade da comunidade negra e o combate ao racismo, discriminação e xenofobia. Por sua vez, integra a Comissão 8 de novembro que reúne afro-argentinos, afro-descendentes e africanos residentes no país.  

Spanish Portuguese English French Chinese (Simplified) Arabic
Converse conosco